MÚSICA E MENSAGEM , DE ITAPORANGA

MÚSICA E MENSAGEM , DE ITAPORANGA
De segunda á sexta, 17 horas

Evangelização de Domingo, Dia 14.04.14 - V







Evangelização de Domingo, Dia 14.04.14 - IV



Evangelização de Domingo, Dia 14.04.14 - III


Evangelização de Domingo, Dia 14.04.14 - II


Evangelização de Domingo, Dia 14.04.14 - I













IX SEMANA ESPÍRITA DO VALE DO PIANCÓ


9° Semana Espírita do Vale do Piancó

(Reynollds Augusto)

Quem iniciou o projeto para realizar as semanas espíritas no nosso belo Vale do Piancó, foram os nossos irmãos ERNANI DE SOUZA DINIZ, então Coordenador Espírita do Vale do Piancó e o saudoso então Presidente do Centro Espírita Jesus de Nazaré, FERNÃO DIAS DE SÁ. Isso nos anos noventa.

Palestras públicas nos Centros Espíritas da Região, Banca do Livro Espírita em Praça Pública, muita festa e alegria. Tinha como ponto de partida o aniversário de “O LIVRO DOS ESPÍRITOS”, que foi lançado em 1857, sendo o principal livro da Doutrina Espírita, por ser a sua “espinha” dorsal, sustentando todas as outras obras doutrinárias. Portanto 157 anos. É uma espécie de código da vida espiritual, que trata dos aspectos filosóficos da proposta espírita, que é a proposta cristã, resgatada, aperfeiçoada pelos imortais, os anjos do senhor.

Perguntas que a humanidade quer saber em torno da existência e que uma boa parte, infelizmente, desconhece. Como morte, como vida, dor e sofrimento, imortalidade, leis morais, leis naturais... Leis. O Livro dos espíritos é um compêndio das leis da vida. Faz parte do “Direito de Deus”.

Dos dias 12 de abril a 19, a Coordenadoria Espírita do Vale do Piancó, que tem á frente o contador VICENTE TOBIAS, está promovendo essa festa da luz. Começou com a palestra pública do Centro Espírita Jesus de Nazaré, da cidade de Itaporanga, como expositor REYNOLLDS AUGUSTO, que tratou do tema “Nacer de Novo”, tendo como exordista a sua filha CAMILA AUGUSTO, que tratou da parábola do semeador. A comemoração continuará com visitas, em caravanas, a duas casas espíritas da região. O Centro Espírita Jesus de Nazaré de Catingueira, na quarta; cuja palestra será proferia pelo confrade JOSÉ CAMPOS e o Centro Espírita Maria de Nazaré, do distrito de Pitombeira, Santana Dos Garrotes; cuja palestra será ministrada pelo jovem dmolay DANILO JONTHAN.


O Livro dos Espíritos é o primeiro livro da Doutrina Espírita e foi publicado pelo educador Francês HIPPOLYTE LÉON DENISARD RIVAIL, cujo pseudônimo é Allan Kardec.

Chama-se “O Livro dos Espíritos”devido o seu conteúdo pertencer aos “Espíritos”. Allan Kardec apenas fez questionamentos, com base nas duvidas da humanidade. O Professor Kardec perguntava e os espíritos respondiam. Isso com a ajuda de vários jovens médiuns: Caroline e Julie Boudin, com 16 e 14 anos. Depois Celine Japhet, com 18 anos, no processo de revisão do livro, realizado por Alan Kardec, mediante contato com centros espíritas de cercas de 15 países da Europa e das Américas

Estamos em plena semana Espírita. Na quinta e na sexta, estaremos com a Banca do Livro Espírita em Praça Pública e convidamos você a dar uma passadinha na concentração que será de frente à Farmácia de Vanise, com Livros e a boa conversa em torno das questões espirituais.


PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.

Mortes Prematuras


PENSE NISSO!MAS PENSE AGORA MESMO
........................................................................
Mortes Prematuras
(Reynollds Augusto)
Eu descobri que todos nós precisamos desanuviar as nossas mentes com temas espirituais, porque senão somos levados pelo roldão das ilusões e perdemos uma encarnação, uma existência, que é etapa de nossa vida, que não fim.
Descobri, também, que sou um espírito que tem um corpo e não um corpo que tem um espírito. Quem pensa diferente geralmente se dá mal e precisa recomeçar. Ainda bem que somos imortais, mas “repetir de ano” não é muito inteligente.
Na dinâmica da vida eu e você podemos até estacionar, mas jamais regredir. O que se aprende não se perde. É patrimônio pessoal do espírito. Por isso é necessário “investir” na razão e no sentimento que são as duas asas que nos levam a Deus.
Também é preciso persistir, conheço pessoas que são influenciadas de imediato pelo “bom e pelo belo”, como disse o grande Platão, mas desistem cedo, não persistem, não buscam, não dão continuidade ao que começaram. Jesus foi enfático: “aquele que persistir até o fim, será “salvo”. O salvo aqui, precisamos decodificar. Deus já criou os seus filhos, todos nós, salvos. Mas, salvação aqui tem o sentido exato do termo: EVOLUÇÃO. Podemos dizer: Aquele que persistir até fim, conquistará o que deseja, atingirá as suas metas, viverá plenamente, encontrará a felicidade.
Eu não costumo perde uma reunião de sábado do Centro Espírita Jesus de Nazaré, que acontece sempre pelas 20 horas, aqui em Itaporanga. São momentos importantes para oxigenar a alma rumo ao infinito. Todos nós precisamos de espiritualidade, pois somos espíritos, antes de estar usando esse corpo. Quando você entende a exata dimensão do que você é, o que está fazendo aqui e para onde vai após a morte do corpo físico, você vive com mais alegria e deixar de lado as ilusões que só traz dor e sofrimento.
Ontem, no Centro, participamos de um bela palestra do empresário José Campos, que tratou de mortes prematuras e ilustrou o tema com casos reais, inclusive da sua própria vida. Uma noite especial. Antes tivermos o exórdio da sua amada, Rosa Campos, que tratou da paz interior, coisa difícil nos tempos atuais.
Esse “negócio” de dizer que só se morre no dia é balela. Você pode morrer antes. O corpo foi preparado para viver um tanto de vida e você pode partir na metade desse tanto e até menos.
Os vícios, as irresponsabilidades, influenciam nesse tempo. É o chamado “Suicídio indireto”. Tem muita gente se suicidando e nem sabe disso. O danado é que sabendo ou não, a ação tem repercussão na vida pessoal de cada um. É claro que com as suas devidas dosagens, pois quem quer conscientemente se matar, vai sofrer mais do que quem se matava e não sabia. A morte do corpo liberta o espírito para o encontro consigo mesmo
Agora, é meritório quando se sacrifica a vida, com o fim de salvar a vida de outras pessoas. Se a intenção foi realmente essa, esse sacrifício não é suicídio. Quantas pessoas arriscam as suas próprias vidas para salvar outras e terminam morrendo? 
É como disse o professor Kardec: Todo sacrifício feito à custa da própria felicidade é um ato soberanamente meritório aos olhos de Deus, porque é a prática da lei de caridade. Ora, sendo a vida o bem terreno a que o homem dá maior valor, aquele que a ela renuncia pelo bem dos seus semelhantes não comete um atentado: é um sacrifício que ele realiza. Mas antes de o realizar deve refletir se a sua vida não poderá ser mais útil que a sua morte.
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA.
 · 
 

Nem Todos Profetizarão

Nem Todos Profetizarão

(Reynollds Augusto)
Eu sempre achei insensata essa “coisa” da existência. Isso quando não conhecia a vida pelo prisma do Espiritismo, que nos conclama à fé racional, longe das ilusões. E olha que fui conhecê-lo por interesse e com um medo danado.
Nascer, crescer, reproduzir e morrer. É um “negócio” chato. Projetos, sonhos, emoções, família, filhos, ideais, amigos, tudo por água a baixo quando a “senhora distinta” chega.
Acho que ela é distinta, pois só nos leva no tempo de cada qual. É claro que temos um quantum de vida, de energia, programado pelo gestor, necessário ao nosso aperfeiçoamento, nessa fase, que chamamos de evolução e as igrejas tradicionais apelidam de salvação. É claro, também, que posso “consumir” essa energia antecipadamente e morrer antes do tempo. Isso acontece quando não respeito o corpo, que é o templo do espírito. Farras, bebidas alcoólicas, drogas, orgias, noites sem dormir, convidam a senhora distinta a nos visitar antes do programado e ela vem feliz. Mas, aí é por conta do nosso livre arbítrio e dessa forma o “aluno” terá que “repetir de ano” e pense noutra coisa chata!
Reencarnação nele.
É bom que se saiba que reencarnação não é punição. É uma nova oportunidade para acertar.
Mas o fato é que Deus, o Pai, a causa, sempre deixou uma porta aberta para o intercâmbio com os chamados “mortos”, que estão mais vivos do que muita gente que vive esbanjando saúde física. Nas escrituras ditas “sagradas”, Moisés, o responsável pela primeira revelação, o grande legislador hebreu, proibiu o “comércio com os mortos”. O povo, atrasado como sempre, usava a mediunidade para se dar bem. E era tão grave que os infratores eram condenados à morte ( Lev.20:27).
Tem gente que pensa que os espíritos sabem tudo e isso é uma bobagem, pois eles são as almas dos homens que viveram na Terra. Muitos sabem menos do que nós. Duvido que algum deles saiba fazer uma “gambiarra” perfeita como a minha? Feia, pois gambiarra tem que ser feia, senão acaba com a arte.
Mas, brincadeiras à parte. Essa ligação do mundo “concreto” com o mundo espiritual sempre existiu e sempre existirá. Tanto é assim que o próprio Moisés elogia Eldade e Meldade quando utilizavam essas forças vivas da vida com nobreza e chegou a afirmar: “Oxalá todo o Povo do Senhor profetizasse… (Num, 11:29).
Hoje damos um nome diferente ao fenômeno. Mediunidade, em vez de profecia; e médiuns, em vez de profetas. Mas são apenas nomes.
A mediunidade é um sentido a mais e você pode tê-la ou não tê-la. Se bem que, como dizia o meu amigo Ernani Diniz, o “nosso eterno chefe”: A vida é uma mediunização constante, pois estamos ligados ao corpo físico pelo perispírito, que é articulado pelo espírito. Pois é.
Eu não tenho mediunidade ostensiva, como muitos amigos meus. Só consigo perceber o exterior pelos cinco sentidos fundamentais e isso já é uma “vitória”. Tenho intuição. Às vezes sinto uma voz me aconselhando. Deve ser meu espírito protetor, ou como dizem os meus irmãos católicos, o “anjo da guarda”. Nomes, novamente. Mas intuição não vale, todo mundo a possui.
Não existe morte para o espírito. Ele é imortal atravessando o tempo rumo ao infinito à plenitude, ao aperfeiçoamento. Afinal, “nenhuma só das ovelhas do meu Pai se perderá” (Jesus). Quanto á morte do corpo físico ela está acontecendo nesse momento, para mim e para você, leitor.
É bom buscar o essencial, sem descurar do secundário, mas lhe dando o seu devido valor.
A senhora distinta, chega já, já. Para mim, para você; para os meus, para os seus. E sempre é uma surpresa.
Ainda bem!
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

www.pensenisso.itaporanga.net

O Direito de Deus

 O DIREITO DE DEUS
(Reynollds Augusto)

Há um direito anterior, “legiferado” pela causa, que nunca teve começo e não terá fim, pois é eterno, segundo o professor Kardec. Alguns a apelidam de Deus, Alá, Iavé, o Grande Arquiteto do Universo e tudo mais. Não importa, são apenas nomes. Já nós humanos encarnados, ”vivos”, cristãos, judeus, muçulmanos, budista, ateus e sei lá mais o que... Somos todos imortais, pois tivemos um começo, mais não teremos fim.

A nossa “inteligência” não tem a capacidade de entender algo eterno, que não teve começo e sempre existiu. Mas, nem tudo, a nossa “racionalidade” ainda consegue alcançar. Somos seres “primitivos”, pode crer. O nosso orgulho não permite que percebamos isso. Mas, já foi pior.

Fim tem o corpo, que está morrendo todos os dias e nós nem percebemos. Precisamos devolver à mãe natureza os elementos químicos que o constitui: Ferro, magnésio... e água. Somos águas andantes. Aquela estorinha bíblica de que “somos feitos de barro e ao barro voltaremos” é verdade. É exatamente isso. Devolver á Terra o que nos foi dado como empréstimo. Mas, morre-se o corpo, liberta-se o espírito.

Também tem o perispírito, que é feito das “energias” da nossa natureza. É o nosso corpo quintessenciado, que é mais sutil do que o ar e que por isso não podemos percebê-lo. O apóstolo Paulo o chamou de “corpo espiritual”.  Algumas pessoas têm outros sentidos a mais, que é orgânico, e pode divisá-lo. Vêem espíritos, ou melhor, perispíritos, que são os corpos dos espíritos, identificando-os, quando deixam o outro, o físico, o material, que está morrendo a cada dia.

Na antiguidade eram apelidados de profetas. Hoje nós os apelidamos de médiuns, que “intermedeiam” essa comunicação com o outro plano de vida, provando que a morte é uma quimera, a dos espíritos.

Chico Xavier foi um desses intermediários. Trouxe notícias do além de muitos filhos que “morreram”, às suas mães sofredoras. Psicografou mais de 420 livros, filosóficos, científicos e tudo mais.

Um “morto” até provou, em julgamento, que o seu amigo não o havia matado por dolo e que fora um acidente. A ciência provou a assinatura genética do “morto”. Os Juízes de fato o inocentaram. A família se convenceu, pois no teor da carta havia informações íntimas que só os pais possuíam.

Chico só cursou o quarto ano primário. Poderia ser milionário. Dizia que as vendas dos livros era para caridade, pois não era ele que escrevia, só servia de instrumento. Vivia de seu salário. Era um homem de bem. É um homem de bem.

Ontem no CEJN de Nazaré, de Catingueira, tratamos do tema vida. Que não se origina no direito social e que é obra do direito natural. Flexibilizar o direito à vida é abrir as portas do desequilíbrio. Há um direito anterior, que nos rege a todos. Deus não erra. Tudo está certo. Tudo é causa e efeito.  Tudo é aprendizado. A cada um segundo suas obras e todos precisam pagar o último ceitil.

Mas há uma fatalidade: Todos nós “um dia” seremos anjos.

Somos imortais

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.


www.pensenisso.itaporanga.net

Novo Texto

NOVO TEXTO
( Espírito “UM AMIGO POETA)

Deus, em sua infinita bondade,
Conhecendo o teu passado,
Te dá nova oportunidade,
Pro erro ser apagado.

Sabedoria denota,
Quando apaga a tua memória.
Pra que não lembres as derrotas,
Pra que esqueças as vitórias.

E te dá um “novo manto”
Pra revestir tua alma.
É preciso, no entanto,
Não se repetir o trauma.

E novo texto é escrito
Pra outro texto apagar.
Faze com que  o teu espírito
Não precise mais voltar.

Médium: AURELÚCIA GOMES

Local: CEJN de  Catingueira.

Retirar o Espírito da Letra


Retirar o Espírito Da Letra

(Reynollds Augusto)

 

Todos nós sabemos que existe a verdade. Mas ela ainda está, inalcançável a nós, pobres espíritos orgulhoso e egoístas, que moramos em um planeta atrasado moralmente, que parece mais uma poeira cósmica, viajando pelo espaço infindo. Esse é o universo material, que vemos.

Há o universo espiritual, que existe, pré-existe e sobrevive a tudo, bem maior. Nossa “racionalidade” não consegue perceber essa verdade. Na nossa condição, entender a vida é um mistério.  Somos, ainda, como feras, devorando os outros, alimentados pelas ilusões e inventando fórmulas, para projetar a nossa personalidade.

Alguns se arvoram detentores dessa verdade e enganam os incautos, fragilizados pelo sofrimento e influenciados pela fé irracional, que aprisionam muitos no carro das ilusões.  Jesus, sempre maduro e tendo percepção de futuro, pois via além do tempo, já asseverara que “haverá falsos Cristos e profetas que enganarão até os escolhidos”. Eita!

 Há aqueles, de boa fé, que realmente interpretam as passagens bíblicas ao sabor da sua maturidade e isso é compreensível, pois cada qual tem o seu papel na senda do progresso. Mas há os de má-fé mesmo, que manipulam e utilizam as forças vivas do universo para se locupletarem financeiramente ás custas do sofrimento dos outros. Divulgam um Jesus que não é aquele nazareno, filho dos humildes Maria e José, que ensinou a humanidade: “De que adianta ao homem ganhar o mundo e perder a sua alma”

 

Entende?

 

Eu até acredito que o povo sofrido, buscando curas para as suas dores, alcance o resultado de seus sinceros pedidos, pois a “fé remove montanhas”.  O Pai não vê as aparências e sim a sinceridade.  E há médicos espirituais que agem do perispírito (que é o nosso corpo espiritual), para minimizar as dores, repercutindo no corpo somático, que é o corpo físico. É por isso que os médicos da medicina convencional têm à conta de “milagres” certos restabelecimento orgânicos, que seriam impossíveis aos seus olhos profissionais e á luz da ciência tradicional. Quando a medicina descobrir a existência do perispírito, a “coisa” vai melhorar.

É como a figura do demônio. Tem gente que acredita mesmo no “coisa ruim”.  Não entende que sempre foi um símbolo criado pela ortodoxia religiosa e que representa o nosso estado interior desajustado, que precisa ser “trabalhado” para adquirir valores morais e substituir sentimentos ineficazes.

A estória afirma que eles, os demônios, tinham sido anjos que pecaram antes da criação de Adão. Foram castigados à marginalização. Foram para o inferno, uma região atormentada. Dizem que está no centro da Terra e ele estão no firme propósito de torturar as almas. Alguns pastores os amarram em nome de Jesus, mas esses nóis são frouxos, pois logo estão de volta a atormentar os desavisados.

Essa é uma tese que não se sustenta mais às luzes da racionalidade presente. É claro que existem espíritos atrasados, mentirosos, enganadores, como os seres humanos. Pois os espíritos somos nós, sem esse corpo físico, que está na contagem regressiva e que morre todo dia.

Eles podem nos influenciar, pois tem “lá” cada “cabra” ruim, mas só nos deixamos ser influenciados quando não buscamos o equilíbrio interior. O mestres já nos disse “Orai e Vigiai, para não cairdes em tentação”. Orar é estar ligado a Deus, vigiar é se conhecer para controlar as más tendências e realizar o que o sábio da antiguidade ensinou: “Conhece-te a ti mesmo”.

 


 

Demônio e anjos estão dentro de nós. E “ninguém pode ser induzido o mal, senão pelo mal que guarda em seu próprio coração.

 

É preciso extrair o espírito na letra.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.

 

 

Aquele Que Não Tem Fé

AQUELE QUE NÃO TEM FÉ

É um quadro fora da tela
Na mente de algum pintor.
É um barco sem a vela,
Que no mar alguém deixou.

É o sol que cedo se põe,
Para dar lugar á lua.
Música que ninguém compõe,
Pra o mendigo da rua.

Gota d’água do oceano,
Que pra areia desliza.
É a parte de um plano
Que nunca se realiza.

Uma planta sem raiz
E solta no matagal,
Na Terra pra ser feliz,
A fé é essencial.


Espírito: UM AMIGO POETA
Médium: LUCIA GOMES
Lugar: CEJN Catingueira-Pb

Salvação ou Evolução?

Salvação ou Evolução?

(Reynollds Augusto)



Evolução.

Está lá em O LIVRO DOS ESPÍRITOS, uma espécie de código da vida, que contem 1018 repostas, a perguntas que o professor Kardec fez aos imortais no século XVIII. E o danado é que a maioria continua atual, pois são embasadas em princípios. Passará a Terra, mas as verdades permanecem.

Esse livro excepcional trata de Deus, a fonte, causa de tudo; dos elementos gerais do universo; da criação; do mundos dos espíritos, nossa verdadeira casa e termina com o livro quatro, que trata das esperança e consolações.

Eu, particularmente gosto do Livro Terceiro, que trata das leis morais. Uma boa olhada nesse livro nos dará condições de entender como funciona o mecanismo de causa e efeito na vida de cada um. São as leis da “Jurisdição Divina”, que evolvem a todos, pois represente o máximo de retribuição. É a lei de causa e efeito. É a causalidade e não casualidade. Passamos o que devemos passar, experimentamos alegrias e agruras, que são “temperos” que qualificam os espíritos rumo à evolução.

O item VII trata da lei do progresso. Da evolução, da “salvação”, como apelidam algumas religiões. Segundo os imortais nós começamos as nossas vidas, no estado natural. É o ponto de partida de cada um rumo ao aperfeiçoamento. Dizer quando isso aconteceu só Deus pode fazê-lo. A verdade é que somos espíritos milenares em franco processo de evolução. O estado natural é uma espécie infância da humanidade. Começamos simples e ignorantes e vamos, ao longo das reencarnações, nos desenvolvendo moral e intelectualmente. Quando esses dois desenvolvimentos crescem juntos, o resultado e a felicidade. O chamado céu. Mas, o primeiro anda ruim das pernas. Mas já foi pior. Depois de Jesus a “coisa” começou a melhorar.

Eu assimilo muita as teses de Jesus, que veio mostrar à humanidade, ainda que veladamente, as leis que regem o universo. Foi por isso que ele disse que mandaria um “outro consolador prometido”, que diria outras verdades e nos fariam resgatar as antigas, com a força da razão. Esse consolador é a Doutrina Espírita.

A grande verdade é que fomos criados simples, mas carregamos o germe da perfectibilidade. Foi por isso que Jesus asseverou:

“Vós sois deuses, podereis fazer tudo que eu faço e muita mais, se o quiserdes”.

Os imortais disseram a Kardec que o homem não está destinado a viver perpetuamente na infância. Ele é transitório e o homem se liberta dele pelo progresso e pela civilização. Foi por isso que o mestre asseverou:

“Nenhuma das ovelhas do meu Pai se perderá”.

Então nada de céu e inferno, são estados consciências. A salvação é evolução e todos a alcançaram um dia, pois o tempo não existe, só existe a eternidade, que não tem começo e não terá fim. É lei de Deus. É o próprio Deus...


Tudo isso me fez relembrar o poema de “UM AMIGO POETA”, “lá de Catingueira-Pb”, recebido pela minha amiga e irmã Lúcia:


GANGORRA DO ESPÍRITO


A perfeição é um processo lento

Que requer perseverança

Exige dor e sofrimento

Muita fé e esperança.


Pense numa gangorra terna

Quer a uma “criança diverte”

O espírito vive numa gangorra eterna

Onde o nascer se repete.


Estamos sempre indo

Ou estamos sempre voltando

O Espírito vai progredindo

E ao poucos vai melhorando.


É preciso muitas vidas

E o nascer parece inédito

Porque em apenas uma vida

Não dá para pagar o débito.


Quando alcança o último degrau

Não precisa mais “morrer”

Não veste a roupa carnal

Pois não precisa “renascer”.



PENSE NISSO! MA PENSE AGORA MESMO.

Voltamos a Estudar Nas Quintas


Voltamos a Estudar Nas Quintas

(Reynollds Augusto)

 

Depois do período de recesso, do fim de ano, recomeçamos as nossas reflexões em torno de questões espirituais, que alimentam o espírito. Sempre elegemos um texto base, fundamentado na Codificação Espírita ou nas obras complementares, acompanhado sempre de uma música popular brasileira ou até Gospel, que ensine a viver e a entender mecanismo da existência.

O “danado” é que uma hora de encontro não dá nem para o começo. O tempo termina e a turma quer permanecer. Viajamos e reflexionamos em torno das experiências pessoais de cada qual e o grupo aprende. É uma terapia.  Nunca dá para tratar do tema em uma noite só. São vários encontros até que gastemos todo o combustível para entrar em outra proposta. Um, dois e até três encontros são suficientes para um bom debate em torno de temas importantes às nossas vidas.

Dessa feita, o bloco 01 tratou da mensagem do Grande Espírito, médico, André Luiz, que usa um pseudônimo. Ele foi um médico renomado no Estado do Rio de Janeiro, morreu, ou desencarnou, e se transformou no repórter do além. São textos belíssimos. Vejamos o de ontem, que paramos do item 6. Depois de uma análise acurada da música “SORRIR”, do grande Djavan.  

 

Preocupações

1.                  Não se aflija por antecipação, porquanto é possível que a vida resolva o seu problema, ainda hoje, sem qualquer esforço de sua parte.

2.                  Não é a preocupação que aniquila a pessoa e sim a preocupação em virtude da preocupação.

3.                  Antes das suas dificuldades de agora, você já faceou inúmeras outras e já se livrou de todas elas, com o auxílio invisível de Deus.

4.                  Uma pessoa ocupada em servir nunca dispõe de tempo para comentar injúria ou ingratidão.

5.                  Disse um notável filósofo: "uma criatura irritada está semprecheia de veneno", e podemos acrescentar: "e de enfermidade também".

6.                  Trabalhe antes, durante e depois de qualquer crise e o trabalho garantirá sua paz.

7.                  Conte as bênçãos que lhe enriquecem a vida, em anotando os males que porventura lhe visitem o coração, para reconhecer o saldo imenso de vantagens a seu favor.

8.                  Geralmente, o mal é o bem mal-interpretado.

9.                  Em qualquer fracasso, compreenda que se você pode trabalhar, pode igualmente servir, e quem pode servir carrega consigo um tesouro nas mãos.

10.              Por maior lhe seja o fardo do sofrimento, lembre-se de que Deus, que agüentou com você ontem, agüentará também hoje.

PENSE NISSO!  MAS PENSE AGORA MESMO

www.pensenisso.itaporanga.net

Procurando Caminhos


Procurando Caminhos

(Reynollds Augusto)

Hoje é sábado. Dia de Reunião Pública Doutrinária do Centro Espírita Jesus de Nazaré, da cidade de Itaporanga. Prefiro chamá-la de “Reunião Espiritual”, pois lá se encontram os desencarnados, que deixaram o corpo físico; e os encarnados, que somos nós outros, na contagem regressiva para deixá-lo também.

Podemos compará-la à missa, dos nossos irmãos católicos ou ao culto, dos nossos irmãos evangélicos. Não importa. É um encontro com o Divino, com a espiritualidade maior. É uma pena que a maioria dos presentes, nessas reuniões, apenas está lá. Isso faz uma diferença danada. São daqueles que “olham, mas não vêem; ouvem, mas não escutam”. É como estar sentando sobre um baú de grandes riquezas e não se aperceber disso. Se bem que é uma comparação medíocre, pois nada se compara a riqueza das aquisições de valores espirituais, que é o nosso propósito. Os nossos outros irmãos dão outro nome ao processo: SALVAÇÃO. Mas, salvação de que? Seria melhor chamar de evolução, progresso, que é uma das leis divina, que faz parte da jurisdição de Deus, que não tem fronteiras e nem tempo.

Só percebemos disso quando a “ficha” cai. Como Saulo de Tarso, que ao divisar a luz do mundo, o mestre dos mestres, Jesus de Nazaré, numa aparição mediúnica, na estrada de Damasco e ficara cego, como todos nos estamos, mas depois recobrar a visão mudou o interior, resignificou a vida e foi á busca do tempo perdido:

- “Já não sou eu quem vive. Mas é Cristo que vive em mim”.Outro símbolo.

Quem não estiver preparado para entender os símbolos das escrituras, não consegue entender a proposta do alto. Jesus não ensinava diretamente e foi por isso que disse que “nem todos que dizem senhor, senhor, entrará no Reino dos Céus”.

É preciso entender a proposta, pois “a letra mata, mas o e espírito vivica” É a volta à “Canaã, à terra prometida”, que não é um lugar é sim mais um símbolo espiritual. “Que olhem os quem tem olhos de ver, que ouçam os que têm ouvidos de ouvir”. É a perca o paraíso, como Adão e Eva. Todos precisamos sair para encontrá-lo novamente, nessa estrada que não cessa, pois “nenhuma das ovelhas do meu Pai se perderá.

Hoje, na Reunião Espiritual do Centro Espírita Jesus de Nazaré, o empresário José Campos, ex-coordenador do movimento espírita falou sem símbolos. Falou de escolhas, de conseqüências, de ilusões, de buscas, de equilíbrio, de felicidade, de vida. De ano novo...Tocou os corações.

Sábado, tenho outro encontro marcado. Com nossos irmãos encarnados e desencarnados. Sem símbolos, com verdade, para o encontro da felicidade.


PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.